AUSTRÁLIA – Treinador de natação de Brisbane está preso por agressão sexual a cinco meninas

1 ano ago 0

Brendan Terry (imagem de arquivo) – AAP

Um ex-treinador de natação de Brisbane, Austrália, foi considerado culpado de abusar sexualmente de meninas e está preso há sete anos e meio, com o juiz descrevendo suas ações como “predatórias, descaradas e persistentes”.

Pontos chave:

Brendan John Terry foi condenado como predador por uma de suas vítimas

A juíza Catherine Muir disse que sua ofensa teve um “impacto devastador”

Terry será elegível para liberdade condicional em junho de 2023

Brendan John Terry, 57, foi sentenciado no Tribunal Distrital de Brisbane na sexta-feira depois de ser condenado por 22 crimes de conduta indecente e uma acusação de estupro.

Os crimes foram cometidos ao longo de um período de 19 anos, desde os anos 1980, e envolveram meninas com idades entre 8 e 15 anos.

O tribunal foi informado de que Terry entrou em uma de suas vítimas enquanto ela se despia no vestiário, pouco antes de uma sessão de treinamento.

Soube que ele enfiou o pênis na boca da criança e que, quando ela engasgou e chorou, ele a agarrou pela cabeça e a obrigou a fazer de novo, enquanto dizia: “Foi isso que você fez comigo”.

Após o incidente, a menina participou de um treino com Terry na piscina.

‘Ele é um predador’ Uma das mulheres leu sua declaração sobre o impacto da vítima para o tribunal. “O primeiro toque de Terry mudou a trajetória de minha vida inteira”, disse ela. Ele tirou meu valor e direito humano básico. Quando eu disse não e ele continuou, minhas palavras não valeram mais. “Ele é um predador e sempre será.”

Na sentença, a juíza Catherine Muir disse que o ex-técnico violou a confiança depositada nele pelas mulheres e suas famílias. Teve um impacto devastador sobre todas essas mulheres e suas famílias, disse ela. O juiz Muir disse que foi poderoso ouvir em primeira mão o impacto da ofensa de Terry. “A declaração foi cheia de dor, angústia e arrependimento mas também cheia de insights em relação a outras vítimas”, disse o juiz Muir. Falando diretamente a Terry, ela disse: “Sua conduta é repreensível”. Terry já passou quatro meses e meio sob custódia. Ele será elegível para liberdade condicional em junho de 2023.

ABC noticias