Bahia quer aumentar “Celeiro de Campeões” usando maratona aquática como exemplo

4 meses ago 0

Diego Albuquerque fala sobre o momento dos esportes aquáticos na Bahia
A Baía de Todos os Santos, de fato, já abençoou os esportes aquáticos do Brasil. São vários atletas importantes para a história do esporte nacional e que, atualmente, tem Ana Marcela Cunha como principal exemplo a ser seguido. Agora, a Federação Baiana de Desportos Aquáticos quer usar sua tradição em revelar talentos para desenvolver ainda mais os cinco esportes.
Diego Rocha Dias de Albuquerque é presidente da Federação Baiana há pouco mais de um ano. Em 29 de março de 2017, ele assumiu o posto que era de Sérgio Silva e deu continuidade ao trabalho do ex-presidente. Ele, porém, inovou e melhorou o sistema que já dava certo. O resultado só poderia ser positivo.
“Quando eu assumi, a federação estava em um processo de crescimento. Peguei uma federação tecnicamente muito organizada, bem vista nos critérios técnicos e com a maratona aquática em expansão. Então surgiu o slogan Celeiro de Campeões”, disse.

Assembleia geral ordinária da CBDA, realizada no Hotel Guanabara. 20 de Dezembro de 2017, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

A tradição nas Maratonas Aquáticas é nítida. A Federação Baiana de Desportos Aquáticos organiza diversas competições da modalidade durante o ano e aposta nisso para fazer sua engrenagem andar. A modalidade é tão forte que é utilizada para o auxílio no desenvolvimento dos outros esportes.
“A Maratona está no sangue, e a gente mantém isso. Estimulamos os atletas desde a base, sem esquecer do máster, que é quem faz a engrenagem funcionar. Revelamos atletas desde a época de Fábio Lima, passando por Luis Rogério Arapiraca, Edvaldo Valério, Allan do Carmo, Ana Marcela, entre outros. Aqui, todos eles passam pela maratona aquática. Não há uma distinção, mesmo que ele seja de velocidade, ele passou pela maratona. Não à toa, estamos sempre em contato com o mar. É um cenário perfeito para desenvolver o nosso talento”, falou.
“A maratona é o carro chefe e aproveitamos isso para fortalecer a natação, o polo aquático e o polo aquático de mar, que está ganhando força. A gente tem mirim, petiz e fazemos ações de incentivo para essa modalidade”, completou.
O mandato de Diego a frente da FBDA vai até 2021. Até lá, o presidente da Federação deseja desenvolver o esporte de base e valorizar os atletas profissionais que representam o Estado em competições nacionais e internacionais.
“A gente tem um projeto de criar um time FBDA de incentivo aos atletas da Bahia, assim como os projetos sociais em convênio com o estado. Ampliar a base, além de fortalecer os atletas profissionais que já temos no nosso estado Começamos o nosso mandato com 450 atletas. Nossa meta é chegar a mil atletas entre federados e vinculados”, finalizou.

Departamento de Comunicação – CBDA
Fotos: Satíro Sodré/CBDA