Bárbara Hernández primeira nadadora a cruzar o lago Chungará, a 10ºC e a 4.560m de altitude

2 meses ago 0

Provavelmente uma das melhores nadadoras em águas geladas, aos 34 anos a “Sereia do Gelo”, como a chilena é apelidada na Patagônia, Bárbara Hernández já se consolidou como a número um no ranking das águas geladas há dois anos consecutivos, disciplina que pratica desde 2014 quando aceitou o desafio de nadar na geleira Perito Moreno, na Patagônia Argentina. Em fevereiro ela se destacou novamente ao se proclamar campeã mundial no estilo livre 1000 em água a uma temperatura de 5,4 °Celsius.

Em 28 de novembro, ele estrelou mais um grande feito para adicionar à sua já notável carreira esportiva. Naquele dia,  ela se tornou a primeira nadadora a atravessar a nado o Lago Chungará, um dos mais altos do mundo, localizado a mais de 4.500 metros acima do nível do mar nas terras altas do Chile, no extremo norte do país.

Bárbara Hernández, que completará 35 anos no dia 31 de dezembro, começou a nadar às 8h30 e completou a distância de 7,6 quilômetros em 2 horas e 11 minutos.

Com águas entre 8 ° e 10 ° C, é a primeira vez que alguém atravessa o lago sem neoprene ou gordura, o que pode se tornar um recorde do Guinness para a nadadora, que só usava chapéu, óculos, maiô e seu Garmin. O Guinness Book of Records é o alvo de “The Ice Mermaid”. E a resposta esperada pode vir em 2021 buscando deixar o nome da nadadora na história.

Além do risco de hipotermia, devemos acrescentar a dificuldade adicional da falta de oxigênio no ar, já que o Lago Chungará está 4.560 metros acima do nível do mar. “Foi extremamente difícil, pela primeira vez quase pensei que não conseguiria chegar ao fim, até porque não conseguia nadar mais rápido, porque tinha falta de oxigénio”, declarou Bárbara Hernández no final da viagem.

Bárbara Hernández é a primeira mulher chilena a obter a Tríplice Coroa em natação em águas abertas após cruzar o Canal da Mancha e o Canal de Santa Catalina em 2019, além de obter ouro ao redor da ilha de Manhattan em Nova York após percorrer 47 quilômetros. Mas não, não foi tudo.

Ela também fez história ao se tornar a primeira mulher a nadar no Canal de Beagle, um estreito localizado na Terra do Fogo, no sul do continente americano.

Seus próximos desafios, já projetados para 2021, estão localizados no Oceano Pacífico, próximo à ilha do Havaí, e no Mar da Irlanda, projetos para os quais já se prepara com grande dedicação.

por Ana García

Planeta Triathlon

 

CALENDÁRIO DE EVENTOS DE ÁGUAS ABERTAS 2021

SAIBA MAIS https://bit.ly/2KPCXt0