Do Lago Guaíba para o Lago Maggiore, uma paixão por águas abertas

3 meses ago 0

O nadador master Fancismar Siviero, 62 anos de idade, começou a participar de travessias aquáticas há 15 anos. A primeira maratona aconteceu em Tapes, na Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul. A prova foi realizada em condições adversas, com ventos e uma chuva fina que deixaram a água com muitas ondas, representando um grande desafio. Daí seguiram-se provas no Rio Grande do Sul – Torres, Rio Grande e Lagoa dos Patos. Em Santa Catariana, Francismar participou do Circuito Bombinhas Esportes. No Rio de Janeiro da tradicional Travessia dos Fortes e do Circuito Rei e Rainha do Mar. Esta paixão por travessias levou o atleta a participar de uma travessia na Itália, na região de onde vieram seus antepassados, também de sobrenome Siviero. A prova escolhida foi a tradicional prova de maratona aquática na região dos lagos italianos, a Nuotata Dell’Eremo.

A travessia, realizada no Lago Maggiore, possui dois percursos. O primeiro, com 4,0 Km, atravessa o lago, partindo da histórica cidade de Stressa e com chegada em Leggiuno. O outro, com 1,5 km, é paralelo à praia. A prova, realizada em águas cristalinas, possui um visual mágico, com vista para os Alpes, para o penhasco onde está Hermitage de Santa Caterina Del Sasso e para a isola Bella com o Palazzo de Borromeu. O lago é lindo, bordejado por povoações arranjadinhas, de estilo neo clássico muito bem conservadas e envolvido por montanhas sempre verdejantes. As águas são tranquilas. A segurança da prova tem acompanhamento de caiaques, lanchas do corpo de bombeiros, marinha, polícia e apoio médico. A temperatura da água, um dos principais obstáculos da prova, é fria pelo degelo dos Alpes, onde mesmo no verão dificilmente ultrapassa os 20 ºC. A grandeza desta competição reflete o trabalho desenvolvido pelos organizadores, Dario Alluvion e Flora Mazzucchelli.

O lago Maggiore é um lago dividido entre a Itália e a Suíça. É um dos principais lagos alpinos e o segundo maior lago da Itália. Banha as regiões de Lombardia e Piemonte, enquanto na parte Suíça banha o cantão Tessino, de fala italiana. É um dos mais belos locais da Itália. Graças ao clima ameno, a vegetação em sua costa é mediterrânica e exuberante. Há paisagens montanhosas, selvagens e românticas, com vistas deslumbrantes. Nos caminhos do entorno do lago, situam-se cidades pitorescas, como Locarno, onde esta o Castelo dos Visconti obra de Leonardo da Vinci, Ascona, Orselina, Leggiuno, onde esta o espetacular mosteiro de Santa Catarina Del Sasso, local onde a arte e história se misturam, cenário natural, quase uma varanda que se projeta para o Golfo Borromeo.

O mosteiro está situado na beira de uma rocha e diz a lenda que foi fundada por Alberto Besozzi , rico comerciante local que sobreviveu a uma tempestade durante a travessia do lago decidindo viver como eremita e construindo ali uma capela em honra de Santa Catarina. Hoje, o mosteiro restaurado está aos cuidados dos monges beneditinos e por último Stressa, cidade de mansões coloridas e imponência clássica, que possui ao largo, as ilhas Borromeas (Isola Bella, Isola dei Pescatori e Isola Madre), igualmente cobertas de villas e outras edificações antigas e imponentes.

Os barcos e escunas de recreação do Lago Maggiore fazem o transporte não só a Leggiuno, Laveno-Bombello, Brebbia, Ascona, Brissago e Stressa, mas também a locais menores ao redor do lago, além de atravessar a fronteira para operar na parte suiça. Todas essa cidades foram rendidas pelo charme do lago Maggiore.

“Fazer uma travessia neste local e respirar a atmosfera do lago é fazer uma viagem no tempo, num local preservado, onde a natureza, a arte e a história se reúnem”, declara Francismar Siviero, que também é cidadão italiano. No próximo ano, Francismar planeja levar um grupo de brasileiros para a travessia, promovendo a integração Brasil-Itália. Para saber mais acesse o Portal www.francisswim.com.br .

VANESSA SIVIERO