Do Oiapoque ao Chuí – Adelson Rodrigues o aventureiro que busca uma missão inédita na canoagem brasileira

12 meses ago 0

Adelson Carneiro Rodrigues é paulista, 59 anos, e encarna bem o espírito dos bandeirantes. Desde os 17 anos desbrava à natureza por meio da canoagem, modalidade que pratica pelo prazer de vida, agregada ao entusiasmo de aventureiro marítimo. Uma paixão que se transforma num desafio pessoal, daquele que ‘só sossega’ quando a missão for concluída. É dessa maneira que vem encarando uma aventura inédita na canoagem brasileira: cruzar o país do Oiapoque ao Chuí à bordo de um caiaque oceânico. Pode parecer impossível, mas não do ponto de vista de Adelson que há está na empreitada desde de fevereiro e tem pretensão de chegar no Chuí no mês de fevereiro de 2021.

Em Belém, há duas semanas, Adelson conta que deu largada da aventura marítima do Oiapoque, no extremo norte do país no dia 17 de fevereiro. “Todos têm seu sonho a realizar. O meu, desde de jovem, era fazer essa excursão, na verdade, uma aventura brasileira. Quando começamos a fazer alguma coisa queremos concluir. Então, se concluir essa travessia realizo o sonho que acalento há muitos anos”, diz

Ele deixa Belém na quinta-feira (29) indo para o município de São João de Pirabas na região do salgado paraense, de lá segue, para Boa Vista já no caminho rumo ao ponto da chegada.

Adelson relata os contratempos durante à viagem até Belém, citando, por exemplo, o período chuvoso do inverno nortista que elevam aliada às ondas com ventos fortes. O canoísta destaca no diário de bordo, beleza e a exuberância das paisagens e também a boa receptividade dos ribeirinhos. ‘É incrível ter contato com esse povo (ribeirinho) são amáveis demais. O nosso país tem muita coisa bonita”, enumera.

Do Norte (Oiapoque) ao Sul (Chuí) tem percurso de 8.000 km a remo, cerca de 4.000 milhas. Adelson defende que irá concluir, porém, sem previsão de quando tempo vai durar sua aventura. Quando concluir a missão, será o atleta brasileiro a percorrer toda costa brasileira de Norte a Sul, de caiaque oceânico.

‘É incrível ter contato com esse povo (ribeirinho) são amáveis demais. O nosso país tem muita coisa bonita”, Adelson

Adelson não é só aventureiro de mar. Ele já escalou a montanha mais alta das Américas, o Monte Aconcágua, na cordilheira dos Andes na Argentina, onde enfrentou encarou de 20 graus. Ele relata toda essa aventura no seu livro: o “Atraído pela Montanha”. O próximo livro vai contar a travessia do Norte ao Sul por meio de caiaque.

FONTE O LIBERAL

FOTOS THIAGO GOMES