“É muito bom estar de volta”, diz Etiene Medeiros pós Campeonato Paulista

4 meses ago 0

Neste fim de semana, a nadadora retornou às competições oficiais vencendo os 50m livre e o 50m costas. Na próxima semana ela viaja à Europa e se prepara para o Finkel no segundo semestre.
O sol resolveu dar o ar da graça no terceiro dia de campeonato paulista de natação disputado no Parque São Jorge neste fim de semana. E ele apareceu justamente antes de Etiene Medeiros cair na água para a disputa dos 50m costas. Além disso, ela caiu na água para os 50m livre os revezamentos 4x100m e 4x50m livre.
“É muito bom estar de volta”, comemorou. “O ombro não dói e não doeu após esses dias do Paulista. Ainda sinto um pouco de limitação ainda no alongamento, que é normal nesse processo de recuperação. Oficialmente de alta na quarta-feira (13.06) está tudo normal já, vida nova”, acrescentando com um sorriso no rosto ao sair da piscina neste domingo após encerrar sua participação no Campeonato Paulista.
A nadadora do SESI-SP participou de sua primeira competição oficial após quatro meses e dez dias da operação no ombro direito para a retirada de um cisto sinovial. Mais do que baixar tempo e conquistar medalhas, cair na água da piscina do Corinthians representou uma nova etapa do ciclo olímpico visando Tóquio 2020.


“É um recomeço. Tem que ter um cuidado, criar uma sinergia boa para voltar com o passo a passo. Pós cirurgia encaramos tudo muito devagar. Essa volta aos treinos, às competições foi devagar. Fizemos uma tomada de tempo duas semanas atrás no Rio (durante CAMP no Time Brasil) e neste fim de semana o Paulista. Competir oficial é diferente, é um clima diferente e estou muito feliz de estar retomando o ciclo de competições e foi muito bom esse fim de semana. Estou muito feliz e isso é o que importa”, comemorou.
Disciplinada, Etiene seguiu à risca a programação do staff que cuidou da sua recuperação (Dr. Breno Schor – Médico Ortopedista; Dra. Fernanda Lima – Médica particular; Raphael Planas – Fisioterapeuta do SESI-SP). A rotina de fisioterapia, aliada a preparação física, alimentação e treinos, além das idas constantes ao ortopedista, deixaram a pernambucana cada dia mais determinada para a sua volta.
Nos últimos meses o trabalho mental também foi constante. “Em alguns momentos também ficava a preocupação se o ombro voltaria ao normal, se sentiria alguma limitação. Mas, desde o momento que soube que precisaria fazer a cirurgia, sempre pensei positivo, por que se eu não tivesse feito estaria com dor até hoje. O que hoje passa na minha cabeça é que o tempo passa rápido! Passou muito rápido, mais rápido do que eu imaginava e estar ao lado de pessoas de confiança cuidando de mim, do meu lado foi essencial e fiz tudo o que eles me pediram de olhos fechados e isso fez a diferença no meu pós-operatório”, analisou a nadadora.
O técnico Fernando Vanzella também teve um papel fundamental neste processo. Os seis anos trabalhando juntos foram essenciais nesses 130 dias de recuperação. “Algo que é muito importante nessa relação de atleta e treinador é a confiança. E adquirimos essa confiança ao longo desses seis anos. Dentro dessa recuperação, em alguns momentos, senti que ela poderia estar mais insegura por alguma questão e tentamos usar algumas estratégias para que ela acreditasse que tudo daria certo e vibramos em cada etapa conquistada. Lembro uma vez no pós cirurgia, quando o médico a libertou para voltar a fazer movimentos com o braço, ela chorou, algo que é muito raro acontecer até mesmo pelo equilíbrio emocional que ela tem, então ali, naquele momento foi uma sensação de conquista como se tivéssemos ganhado uma medalha, de que ela tinha conseguido dar mais um passo na recuperação. Isso a gente vem valorizando muito, etapa por etapa, o que sempre falamos desde 2013 quando começamos a trabalhar juntos. E isso ela soube trazer muito bem nesse processo de recuperação e foi fundamental esse nosso relacionamento até aqui e fez a diferença nesse processo (e ainda estamos no meio dele, o final será só após o mundial)”, analisou Vanzella.


Sobre o campeonato paulista em si, Vanza gostou do que viu na piscina e de como, mais uma vez, o dia após dia está sendo construído da melhor maneira. “Colocamos no planejamento que este seria o primeiro momento de competição nessa volta e foi bem positivo. Ela fez um tempo muito bom no 50m livre e nos 50m costas nadou para 28s. Ainda está longe da melhor performance dela, claro, mas sabíamos que isso aconteceria até por que aqui no Paulista não era o momento para isso, mas sim ser um trampolim para a próxima etapa que é a nossa viagem para a Europa e, nessas duas competições espero – e ela também – de estar alguns degraus acima de nadar uma final e quem sabe brigar por uma medalha, terminando essa temporada de piscina longa na Europa. Abrindo a temporada de curta, que é o principal objetivo dela, classificar para o Mundial de curta”, finalizou o treinador.

EUROPA NOS PRÓXIMOS VINTE DIAS
Etiene Medeiros ao lado do técnico Fernando Vanzella e de outros nadadores do SESI-SP embarcam para a Europa no próximo domino, 17 de junho. Entre os dias 30 de junho e 1º de julho Etiene disputa o Torneio Sette Colli em Roma (ITA) e, entre os dias 07 e 08 de junho disputa o Open em Paris (FR), retornando ao Brasil apenas na semana do dia 10 de julho.

TROFÉU JOSÉ FINKEL EM AGOSTO
Um dos momentos importantes do ano para Etiene Medeiros será a disputa do Troféu José Finkel no final de agosto, no qual buscará índice para o Mundial de Piscina Curta que será disputado no fim do ano na China entre os dias 7 e 11 de dezembro de 2018.
“Agora não para mais (risos). Tenho essa semana em São Paulo, depois Europa, depois voltar pensando no Finkel. Estamos na boca do gol. O Finkel será a competição onde valerá muita coisa, seletiva para o mundial. Nosso principal objetivo nesse momento é esta competição”, finalizou Etiene.

RESULTADOS PAULISTA
– 50m livre I 1º Lugar 25s62
– 50m costas I 1º Lugar 28s99
– Revezamento 4x100m livre I 1º Lugar SESI-SP 3’50s56
– Revezamento 4x50m livre I 1º Lugar SESI-SP 1’45s13

Créditos fotos Igor Bione