Entrevista com o Campeão Mundial de Bodyboarding Uri Valadão por Kpaloa

7 meses ago 0

Uri Valadão, campeão mundial de Bodyboarding e vencedor da primeira etapa do Brasileiro de Bodyboarding, atleta do #kpaloateam, concedeu uma entrevista à atleta Paola Simão. Veja a seguir e inspire-se!

Você esta construindo uma carreira sólida dentro do esporte e é motivo de orgulho nacional trazendo dezenas de títulos expressivos como campeão mundial, tetra campeão brasileiro, dentre outros. Recentemente você venceu a primeira etapa do circuito brasileiro, em Balneário Camboriú e lidera o ranking. Quais são as metas e objetivos para 2018?
URI: Minha meta esse ano é buscar os títulos. Agora comecei na ponta do ranking brasileiro então vou correr atrás desse título porque é algo que eu dou muito valor. O circuito brasileiro foi minha escola, na verdade aprendi muito durante esses anos de circuito, fazendo chegar muito bem ao circuito mundial. Também estou bem focado no circuito mundial para tentar novamente disputar o titulo. Estou me sentindo muito bem, em um ritmo muito forte, estou treinando muito inclusive mais do que nos últimos anos. Estou me sentindo confiante, meus equipamentos como prancha e pé de pato estão excelentes. Então o objetivo é buscar esses títulos que pra mim são fundamentais.

Dentre tantos títulos e lugares no qual já competiu, tem algum que você destaca e considera mais especial?
URI: O lugar mais especial de competição para mim é Sintra, em Portugal. Foi um lugar que já conquistei três títulos e foi a primeira viagem na qual eu comecei a experimentar de fato o circuito mundial, onde eu cresci muito. Mas o lugar que eu mais gosto de estar curtindo surfar e competir, é nas Ilhas Canárias, pelas ondas incríveis que oferece e também pelas lembranças maravilhosas que tenho, pois foi aonde consagrei o meu título de campeão mundial. Então esses dois lugares são realmente especiais.

Você é conhecido como Baiano Voador, qual é a sua manobra preferida?
URI: Apesar de eu fazer muito Backflip, a minha manobra preferida mesmo é o 360 normal aéreo, uma manobra que eu acho muito plástica e bonita. Acho lindo quando o Guilherme Tâmega faz aquele normal aéreo na boca do tubo sensacional. Eu acabei me inspirando nisso e aperfeiçoando muito essa manobra.

Qual o sua onda predileta no Brasil? E ao redor do mundo?
URI: Minha onda predileta no Brasil é a Cacimba do Padre, em Fernando de Noronha. Lugar irado, água quente, altas ondas, terral, tubos, realmente um show.
Ao redor do mundo, minha onda predileta é El Fronton, nas ilhas Canárias. Para mim é a onda mais poderosa que eu surfei e em seus dias clássicos é algo fantástico.

Como é ser um ídolo dentro do esporte?
URI: Eu tenho recebido um carinho enorme de muita gente ao redor do Brasil, isso é maravilhoso, um reconhecimento por tudo que já fiz pelo esporte. É muito gratificante para qualquer atleta de qualquer modalidade. Realmente não tem preço e eu curto muito esse contato com a galera, essa energia boa que é passada dos fãs para gente é sensacional.

Na sua opinião, como você enxerga a atual fase do bodyboard e quais as mudanças necessárias para o esporte alavancar e se tornar um dos principais esportes brasileiros ( como foi na década de 80,90)?
URI: Eu acho que o caminho para o esporte alavancar, é esse caminho que estamos trilhando agora de muita união. Com a retomada do circuito brasileiro, que estava praticamente extinta, estamos começando do zero, fazendo um trabalho de base que é fundamental.
É essencial que os atletas apoiem , estejam presentes, unindo forças para juntos fazermos essa mudança. Hoje temos a expectativa de quatro etapas para o circuito brasileiro, longe do que almejamos, mas é algo concreto que dá uma visibilidade para os atletas e para o esporte. É isso que precisamos recuperar. Colocar o bodyboard na mídia, pois ele esta vivo, esta acontecendo e existindo, então isso é muito importante. Consequentemente para captar mais recursos, tudo vai ficando mais fácil. Então o caminho é essa união, consolidar nossas bases em todos os estados.

Algum conselho para nova geração que quer ingressar no esporte?
URI: Façam o bodyboard por amor, por prazer e não por dinheiro, acho que é o melhor conselho que dou para a galerinha que esta começando.
Continuem estudando em paralelo, nunca larguem, pois o estudo é muito importante em nossas vidas. O esporte é algo que nos traz muita alegria e diversão e é muito bem termos ele como hobby.

 

PUBLICADO POR KPALOA