Entrevista para o Jornal da ABMN – Associação Brasileira Master de Natação na Edição Comemorativa dos 30 anos

5 meses ago 0

FRANCISMAR SIVIERO (60+) Francismar é profissional liberal atuando na área de manutenção e execução Plano de Prevenção Contra Incêndio – PPCI, redator de esportes aquáticos no site de notícias Final e do blog Francisswim. Aprendeu a nadar já na fase adulta, quando muitos de sua idade já galgavam pó- dios. Entretanto, depois de experiência bem sucedida nas provas de Águas Abertas envolveu toda família no projeto da natação. Assim, junto com sua esposa começaram a viajar juntos, conhecendo novos lugares e culturas. E para narrar suas aventuras aquáticas criou com sua filha e jornalista, um blog dedicado à nata- ção. Além disso, sua filha mais nova passou a ser sua companheira de travessias. Em 2013 até o cachorro de estimação, integrou o grupo de viagem e foram para a travessia em Santa Catarina. Foi o jeito que Francismar encontrou de envolver a família toda com a nata- ção. Atualmente seus projetos incluem provas de piscinas. Vejamos o que ele nos relata. ABMN – Como a natação passou fazer parte integrante de sua vida? Francismar – Historicamente, a natação é um esporte muito antigo. Na Grécia Antiga, a atividade já era praticada por ser benéfica ao corpo humano, fazendo, inclusive, parte das Olimpíadas. No século XIX, os ingleses criaram as primeiras regras para a prática da natação enquanto esporte competitivo. E organizaram as primeiras competições. Ainda hoje a natação é considerada um dos esportes mais saudáveis que existe, pois trabalha com diversos grupos musculares e articulações do corpo humano, além de desenvolver o sistema cardíaco e respiratório. Mas, reportando à pergunta, como a natação surgiu na minha vida? Bom, é difícil precisar uma data, mas algo que posso afirmar é que sempre gostei de nadar. Quando pequeno, praticava com meus amigos nos rios da serra de Veranópolis/RS, a capital brasileira da longevidade, e cidade natal de minha família, os Siviero. Nadava no Rio das Antas, Rio Retiro e no Rio Guaporé. Aos 18 anos, já na cidade de Porto Alegre/RS, onde vivia com minha família, tive a oportunidade de ter aulas de natação na Escola Mauri Fonseca, com os professores João Dauniz e Naida dos Santos. Alguns meses depois, fui para a equipe de polo aquático do Clube Grêmio Náutico Gaúcho, na qual fiquei por duas temporadas e, alguns anos depois, participei da primeira competição master no Rio Grande do Sul, recebendo minha primeira medalha; bronze. A experiência foi tão gratificante que ainda guardo esta premiação como uma recordação preciosa. ABMN – Você tem se destacado nas maratonas aquáticas, poderia comentar? Francismar – Em 2009 iniciei, oficialmente, a minha participação em maratonas aquáticas, e a primeira maratona foi em Tapes, na Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul. A prova foi realizada em condições adversas, com ventos e uma chuva fina que deixaram a água com muitas ondas. No início, o meu grande desafio era vencer o medo de nadar sem orientação, sem ver os azulejos e as raias da piscina. Porém a sensação de liberdade, o contato com a natureza diante das belas paisagens, superaram toda angústia que sentia no começo do percurso. A partir daí não parei mais: seguiram-se provas no Rio Grande do Sul – Torres, Rio Grande e Lagoa dos Patos; em Santa Catariana, onde participei dos circuitos organizados pela FASC, Travessias Bombinhas e SB5; no Rio de Janeiro, onde nadei a tradicional Travessia dos Fortes e o Circuito Rei e Rainha do Mar. Em São Paulo participei da Travessia do Canal de Ilhabela. Esta paixão por travessias levoume ainda mais longe, e em 2013, fui participar de uma travessia na Itália, na região de onde vieram meus antepassados, também de sobrenome Siviero. A prova que escolhi foi uma maratona aquática no Lago Maggiore, a Nuotata Dell’Eremo, travessia de 4 km, com águas cristalinas e frias pelo degelo dos Alpes. Porém com um visual mágico, com vista para os Alpes, Isola Bella e o Hermitage de Santa Caterina Del Sasso. Fazer uma travessia neste local e respirar a atmosfera do lago é fazer uma viagem no tempo, num local preservado, onde a natureza, a arte e a história se reúnem. Ao final desta viagem, cheguei à conclusão que fazer travessias aquáticas, para mim, é unir turismo com esporte. Desse jeito, minha esposa e fotógrafa amadora, Soraya Siviero e eu, viajamos, conhecemos novos lugares e diversas culturas. Para narrar todas as minhas aventuras aquáticas criei com minha filha, a jornalista Vanessa Siviero, um blog francisswim.blogspot dedicado à natação. E a minha filha mais nova, Amanda Siviero, é a companheira de travessias. No ano passado levamos nosso cachorro de estimação, o Buldogue Azulejo, para assistir a sua primeira travessia, no mar de Santa Catarina. Assim, a família toda acaba se envolvendo com a natação! Ações de solidariedade também fazem parte do meu cotidiano. No final do ano passado, junto a amigos e nadadores masters, arrecadamos mais de 600 camisetas antigas, mas em bom estado, recebidas em competições, que doamos ao Asilo Padre Cacique, em Porto Alegre, organização não governamental e sem fins lucrativos, com o objetivo de proteger e incluir socialmente os idosos. Este ano apoiamos o nadador master Silvio Holderbaum na 1ª Maratona Aquática Solidária, em que cada nadador doou 5 quilos de alimentos para o Lar de Idosos de Taquara e a Casa da Criança. Unir esporte com ações solidárias é trabalhar para uma sociedade mais justa. ABMN – E as provas de piscina; quais os projetos? Francismar – Treinar no Clube Caixeiros Viajantes é ótimo, pois ele possui uma das melhores estruturas entre os clubes do Rio Grande do Sul. O projeto da natação competitiva master já existe há um bom tempo e tem tudo para crescer ainda mais e ser o melhor do RS. Mas são as pessoas que fazem o sucesso da equipe. Meus próximos objetivos passam pela melhoria das minhas marcas pessoais nas provas de nado peito. Com essa história peculiar, o que você diria aos nossos associados? Francismar – Sei que a natação entrou na minha vida para sempre e gostaria de convidar a todos os associados que conheçam este belo esporte. Quem sabe, lendo um pouco desta história, eles não se animam e, como eu, dar umas braçadas? Agora no Portal www.francisswim.com.br

Campeonato Estadual Master de Verão