Federação Argentina de Natação pede reabertura de piscinas

2 anos ago 0

Esta semana marca dois meses de quarentena devido à pandemia de coronavírus no país sul-americano. Durante esse período, as equipes nacionais que se preparavam para participar do Campeonato Sul-Americano de Buenos Aires no final de março, não conseguiram treinar devido ao fato de as piscinas não terem sido disponibilizadas para fins de alto desempenho.
Há algumas semanas, a Confederação Argentina de Esportes Aquáticos (CADDA) já propunha um protocolo que permitiria a reabertura de piscinas olímpicas com uma densidade limitada de atletas. Somente nadadores de elite seriam permitidos enquanto cumprissem todas as precauções de saúde necessárias. No entanto, as autoridades políticas esportivas argentinas continuam estudando os diferentes cenários e não cedem à atual restrição geral existente.

“Não há data específica para o retorno de nenhum esporte. Vamos começar a trabalhar em protocolos. Estamos pensando em permitir que 5 ou 6 pessoas treinem sem sequer compartilhar um vestiário ”, anunciou o ministro do Turismo e Esportes da Argentina, Matias Lammens, há uma semana, durante uma entrevista de rádio com a agência de notícias local Télam.
Nas últimas horas, o Comitê Olímpico Argentino (COA) e a Entidade Nacional de Alto Desempenho no Esporte (Enard), que financia parte da logística mundial do esporte no país, prometeram mediar perante o Ministério da Saúde para conceder uma permissão de treinamento especial para atletas que já se qualificaram para o Tóquio 2020.
A primeira nadadora argentina a ganhar uma vaga olímpica foi Delfina Pignatiello.
“Para nós, ir à piscina é menos perigoso do que ir ao supermercado”, explicou a tricampeã pan-americana. Pignatiello reside em Buenos Aires, onde estão localizados 73% dos infectados pelo COVID-19 de todo o país. “Infelizmente, estamos reunidos com qualquer outra pessoa que se dirige a uma piscina e somos atletas de elite que precisam treinar para as Olimpíadas. Felizmente, podemos ser levados em consideração quando eles aprovarem isso, porque na natação é impossível treinar sem água por tanto tempo. ” Para Pignatiello, recordista sul-americana no estilo livre de 800 e 1500 metros, a desvantagem em relação aos demais atletas que continuaram nadando durante esse período pode prejudicá-la em relação ao grande objetivo que havia sido definido para Tóquio 2020 – sua primeira Olimpíada.
Os outros dois nadadores argentinos que se classificaram para o evento olímpico vivem realidades diferentes, embora também tenham sido afetados pelo confinamento: Santiago Grassi, que conseguiu nadar em uma piscina em Auburn, Alabama, e Julia Sebastian, atualmente em busca de uma piscina em Belo Horizonte, Brasil.
Com a incerteza que afeta aqueles que já se qualificaram para Tóquio, os nadadores argentinos que ainda precisam cumprir os padrões de qualificação para as Olimpíadas estão testemunhando como a viagem ao Japão lhes escapou.

Federico Grabich, bicampeão olímpico e mundial em 2015, também superou 60 dias sem nadar em Rosário, outra das maiores regiões argentinas, onde os casos de coronavírus são muito mais isolados.
“Estou tentando obter uma permissão do governo da província (em Santa Fe) para que eles nos permitam treinar, como um grupo prioritário no esporte, de olho em uma possível vaga para Tóquio”, espera Grabich após uma interrupção sem precedentes em sua carreira.
“Dois meses é um abismo, você perde todo o tato que acumula. O contato com a água dez vezes por semana é muito trabalho físico que não é substituído por uma academia. Existem músculos que só funcionam quando estou nadando, a mobilidade do quadril e dos ombros, tudo o que está perdido e será difícil recuperá-lo, leva tempo. Acredito que não poderemos competir em boa posição até março do próximo ano ”, acrescentou.
O técnico nacional Gustavo Roldan concordou com os tempos de recuperação e aguarda uma resposta oficial.
“Parar de nadar, isso é muito sério. Nós nunca paramos por 8 semanas. É o único esporte que não pode se adaptar a outro cenário, e precisamos estar na água. Apresentamos os protocolos, mas há medo de implementá-los.”

Ao medir os efeitos que essa situação poderia causar, Roldan não hesita: “Todo o desempenho do próximo ano está condicionado a esses meses, portanto, ao desespero. A quarentena não afeta apenas os nadadores que se qualificaram para Tóquio 2020, porque eles não conseguirão competir como esperado, mas também aqueles que estavam treinando para se qualificar porque não terão tempo suficiente para nadar sob o corte A da FINA, com tão poucos meses de treinamento.”
A alegação argentina é baseada nos protocolos em vigor em outros países. Com as diferenças em cada caso desde que a pandemia forçou o adiamento dos Jogos Olímpicos, nadadores da China, Rússia e Hungria, entre outros, continuaram treinando a portas fechadas, enquanto aqueles que viram seus planos de treinamento interrompidos nos Estados Unidos, Itália, Holanda, Alemanha, Suécia, Portugal, Israel e Japão já retomaram seus treinamentos.
Nesta semana, a Espanha reabriu centros de alto desempenho para atletas após dois meses de confinamento. As sessões de treinamento também foram retomadas na Austrália e na Nova Zelândia. Na América do Sul, além de algumas regiões brasileiras já autorizadas para reabertura, o único país em que os nadadores têm acesso a piscinas é o Paraguai, que registrou mais de 800 casos confirmados de COVID-19.

“Na Argentina, outras atividades de maior risco foram ativadas porém atletas que poderiam treinar em uma piscina com as precauções pertinentes não podem fazê-lo ”, concluiu o diretor técnico nacional do CADDA, Gustavo Roldan.
Até o momento, a Argentina registrou 393 mortes devido à pandemia.

Fonte SwimSwam BY TOMAS RODRIGUEZ
Archive photo via Satiro Sodre/SS Press
https://swimswam.com/argentinian-swimming-federation-calls-for-reopening-of-swimming-pools/

Você está procurando um refúgio tropical e um espetacular evento de natação em águas abertas? Então, temos algo para você! Ocean Swim Fiji, evento de classe mundial, em um local de praias e ilhas de tirar o fôlego, com a hospitalidade clássica dos habitantes da ilha Fiji, este é o seu mergulho para 2020. Comece a planejar sua viagem ao paraíso hoje! Saiba mais https://oceanswimfiji.com/

Treine com o melhor e nade um nível acima. A marca arena oferece produtos de alta tecnologia para você treinar ou competir. Compre pelo site oficial:  https://arenawaterinstinct.com.br/ com o cupom #arenafrancis para ganhar 12% de desconto

O projeto Nadando Pelos Cartões Postais busca unir esporte e a conscientização ecológica com as suas atividades de águas abertas. Saiba mais como participar e apoiar este projeto no https://www.facebook.com/worldswim/