ISL mantém as portas abertas para australianos ausentes no evento de Budapeste

4 dias ago 0

O fundador da Liga Internacional de Natação (ISL), Konstantin Grigorishin, está mantendo a porta aberta para os melhores nadadores da Austrália, apesar da maioria ter saído da segunda temporada de sua série profissional devido à pandemia de COVID-19.

Dez times estão competindo a portas fechadas na Duna Arena de Budapeste, levando à final nos dias 21 e 22 de novembro no mesmo local.

“Claro, entendemos que a situação de saúde é bastante difícil, especialmente para os australianos com a longa viagem”, disse Grigorishin à Reuters em entrevista coletiva na Zoom na quinta-feira. “Respeitamos a decisão deles.

Eles são sempre bem vindos. Talvez alguns deles se juntem a nós nas fases posteriores da competição, quando perceberem que não é tão perigoso.

Cada um dos nadadores tem seus próprios quartos em hotéis isolados na Ilha Margaret, sob estritos protocolos de saúde com testes regulares.

A ISL, que está em desacordo com o órgão regulador FINA, emitiu uma declaração no mês passado acusando algumas federações nacionais de “conscientemente e cinicamente” usar a pandemia “para intimidar atletas que desejam participar de outras competições”.

Não mencionou nenhuma federação e o magnata ucraniano da energia Grigorishin disse que a declaração era apenas para ajudar os nadadores a entender que a ISL os está apoiando em seus esforços para competir.

Grigorishin disse que espera que a Swimming Australia cuide de seus atletas da mesma maneira que a ISL, quando as Olimpíadas de Tóquio ocorrerem no ano que vem, sugerindo que serão fornecidos quartos individuais e ingressos para a classe executiva.

O campeão olímpico de 100m livre Kyle Chalmers, que nadou para o London Roar, desistiu devido a uma lesão durante as restrições de viagem – Melbourne ainda está em um bloqueio rígido – e problemas de saúde fizeram com que a maioria dos nadadores australianos permanecessem em casa.

Apenas três, incluindo a pentacampeã mundial e dupla medalha de ouro olímpica Emily Seebohm, que nada pelo atual campeão Energy Standard, aparecem nas listas de equipes.

Ela tinha um voo de 37 horas para chegar aqui, disse o técnico James Gibson. “Ela está bem de saúde, fez todos os exames COVID, dois antes de sair e dois depois de chegar. Ela também parece estar em ótima forma e estamos muito satisfeitos por ela ter tomado a decisão de vir.

O americano Caeleb Dressel, que ganhou seis medalhas de ouro no campeonato mundial do ano passado e deve ser uma estrela dos Jogos de Tóquio, é um dos cerca de 320 nadadores que fizeram a viagem em um ano em que a maioria das provas foi cancelada. Estamos ansiosos para competir, é algo que todos nós temos fome desde março, disse ele aos repórteres. Eu sei que vai ser muita prova consecutiva, mas é o que queremos. Também estou muito ansioso para estar cercado por companheiros de equipe novamente, tendo camaradagem, competição.

A ISL foi lançada no ano passado como uma liga de natação autônoma e apresenta um elenco de campeões mundiais e olímpicos de natação da Europa, América e Japão.

FONTE Reuters