Natação volta ao Brasil com 31 medalhas conquistadas em Cochabamba 2018

4 anos ago 0

Gabrielle Roncatto é a maior medalhista dos Jogos com quatro ouros e uma prata
Mesmo com uma equipe renovada formada por atletas nascidos depois de 1998 e competindo em plena fase de treinamento, a natação brasileira sobrou nos Jogos Sul-americanos Cochabamba 2018. O Time Brasil conquistou 31 medalhas, sendo 17 de ouro, nove de prata e cinco de bronze. O segundo país em conquistas na natação foi a Colômbia, com sete de ouro, sete de prata e nove de bronze, bem distante do Brasil. Até a manhã da quinta, dia 31, a nadadora paulista Gabrielle Roncatto é a maior medalhista dos Jogos, com quatro ouros e uma prata.

Aos 19 anos, Gabrielle é a única nadadora da equipe com participação em Jogos Olímpicos. A paulista participou dos Jogos Rio 2016. Mesmo com a altitude de 2700m de Cochabamba e sem uma preparação específica para os Jogos, Roncatto conquistou medalhas de ouro nos 200m livre, 200m medley, 400m medley e no revezamento 4 x 200m livre, além do segundo lugar nos 400m livre. “Eu não esperava todas essas conquistas. Estou muito feliz com os meus resultados. Eu não fiz uma preparação específica para esses Jogos, então o resultado é excelente”, disse Gabrielle, que ainda queria mais. “Eu fiquei muito chateada com a prata nos 400m livre”, afirmou a nadadora que pretende se dedicar mais aos 200m livre e 200m medley até os Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

Segundo o chefe da equipe de natação do Brasil em Cochabamba, Gustavo Otsuka, essa tem atletas que devem ser os representantes dos Brasil nas próximas edições de Jogos Olímpicos. “É uma das melhores seleções de base que a gente já formou. É uma nova safra de muita qualidade técnica, física, mentalmente muito bem. Alguns deles, apesar de novos, são experientes e com grandes resultados. Os mais novos, que estão chegando agora, também têm muito a render”, disse Otsuka.

 

Fonte COB
Washington Alves/Exemplus/COB