Polo aquático começa a se desenvolver em Gana, país da África Ocidental

8 meses ago 0

Gana, o país da África Ocidental, é bem conhecido no esporte por sua seleção nacional de futebol, popularmente chamada de “Estrelas Negras” e por boxeadores de sucesso. Mas recentemente, o polo aquático começou a se desenvolver neste país. Um pioneiro do polo aquático em Gana é Asante Sefa-Boaky, que nasceu nos EUA. O pai de Asante nasceu em Gana. Ele começou a jogar polo aquático quando tinha 14 anos em sua cidade natal Coronado, Califórnia.

Asante tinha asma e um dos ex-jogadores disse à mãe que polo aquático e natação são bons para asma. No início não era bom e não gostava de treinar, mas não desistiu. Ele continuou jogando na faculdade e até foi capitão de equipe no último ano.

Muitos atletas olímpicos vêm de Coronado. Um deles é Jesse Smith, que conquistou a medalha de prata com a equipe de polo aquático dos Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de 2008.

“Foi realmente inspirador ver atletas olímpicos de polo tão perto de nós, o que me ajudou a permanecer comprometido com o esporte.   Minha experiência sempre foi desafiadora porque descobri que precisava trabalhar muito. Minha jornada no polo aquático sempre foi frustrante. Mas, meu catalisador foi incorporar todas as citações que ouvi, como “nunca desista, o trabalho duro vence o talento”. Fui inspirado por muitos atletas profissionais famosos como Michael Jordan e minha maior inspiração pessoal, Mohamed Ali, e por suas citações de como, se você for consistente, obterá resultados. E eu implementei isso no polo aquático. ”

O sonho do polo em Gana começou em 2010, durante uma conversa com um dos atletas olímpicos dos Estados Unidos.

“Ele estava me explicando como as Olimpíadas são realmente uma plataforma para a diversidade no atletismo. E ele notou uma tendência de que não há muitos times não europeus nos torneios olímpicos de polo aquático. Apenas duas seleções africanas Egito e África do Sul jogaram nos Jogos Olímpicos até agora.   Eu disse a mim mesmo, como seria legal ir para Gana e começar a seleção nacional de polo aquático. Seria uma reviravolta no mundo ver a seleção da África Ocidental. Eu não falei muito sobre isso. Eu guardei para mim. Eu queria polir em minha mente antes de apresentá-lo.

Após a faculdade, ele pôde fazer alguns treinamentos na Europa, na Espanha (Barcelona), França (Sete e Montpellier), Itália (Torino 81), Alemanha (Spandau 04), Montenegro. Asante foi ganhando experiência no Brasil e treinou pelo Botafogo na temporada 2016/17, sob a orientação de Angelo Coelho.

Pude crescer em tudo, na escola, no atletismo e pude ver o mundo. Quero continuar fazendo isso e empurrar a oportunidade para esse novo grupo demográfico. O maior benefício para mim com o polo aquático foi sempre que eu podia ver alguém que se parecia comigo no palco principal, como Ivan Perez, um grande ídolo aquático meu, Omar Amr, que jogou pela Seleção dos Estados Unidos. Agora, Max Irving está no masculino e Ashleigh Johnson no feminino dos EUA. Essa sensação de que posso ver alguém que se parece comigo, proporciona uma sensação avassaladora de inspiração e admiração. Essas coisas me empurram para a frente.

 

 

Então, o que exatamente você começou agora uma federação, um clube, uma escola?

Iniciar um programa de clube com uma equipe escolar aqui é a melhor maneira de colocar isso. Tem havido muito apoio vindo em nossa direção, então o plano agora é usar isso e ir a mais escolas em diferentes regiões e inspirar a mesma iniciativa. Fiz contato com a Associação de Natação de Gana em 2018 e, com a ajuda deles, fui encaminhado à Escola Sênior Awutu Winton aqui na região central de Gana para fazer a primeira apresentação do equipamento. Desde então, tem mantido esse bom relacionamento, estendendo a mão para outros programas de natação e continuando os esforços para desenvolver o polo aquático em Gana com equipamentos e clínicas de treinamento.

É ótimo estar acelerando o movimento com a ajuda das pessoas certas aqui. Gana já é o lar de uma série de nadadores fortes e dominantes, então agora o objetivo é construir a ponte e canalizar esses nadadores em um programa de pólo aquático duradouro.

Quantas crianças aderiram? Com que frequência eles treinam?

Entre os programas no Awutu e Sogakope, trabalhei com cerca de 30 crianças no total. Também despertei o interesse de algumas crianças da aldeia de Kumasi em algumas viagens em família para lá, então realmente não há limite para o tamanho desta iniciativa. Criar o cronograma de treinamento recentemente deve ter sido bastante estratégico com o COVID agora, e o acesso às piscinas também foi um pouco complicado, mas não desanima muito. A COVID também abriu caminho ao mostrar às pessoas que nadar em piscinas e em águas abertas são as medidas mais seguras de exercício, pois um vírus não pode ser transmitido na água. A meta de trabalho é fazer com que essas crianças possam treinar pelo menos 3 vezes por semana e, eventualmente, treinar até 5 vezes por semana.

Quais são as condições para o treinamento?

No momento, tem sido totalmente para todas as idades e todos os níveis. Já vi atletas saltarem com grande força de natação e alguns que estão apenas começando com pouca experiência. A melhor coisa a ver é o interesse coletivo pelo esporte. Todos que compareceram para treinar compartilham esse desejo de aprender algo completamente novo para eles. É realmente incrível testemunhar como treinador e professor. Acima de todo talento e força que um indivíduo pode ter, o desejo de permanecer animado e atraído pelo esporte é o que impulsiona suas habilidades, crescimento e desenvolvimento. Todos nós nos divertimos muito nas sessões, e isso me deixa mais confiante no futuro do esporte aqui. Também é muito quente na África, então acho que todo mundo adora um motivo para pular na água também.

Você planeja partidas de treinamento?

Absolutamente! A Universidade de Gana tem uma piscina olímpica perfeita para uma partida ou até mesmo para um dia de jogos amistosos. Falei com o diretor de esportes e fiz um pedido para um evento, então, se Deus quiser, poderemos montar algo em março! A palavra chegou até mesmo a alguns nadadores da Seleção Nacional daqui, que estão ansiosos para montar sua própria equipe! Seria um ótimo dia para se divertir com algumas competições e mostrar um pouco de Pólo Aquático em um ambiente totalmente novo. Resumindo, é emocionante acelerar o crescimento do esporte aqui. Eu também tenho tentado algumas idéias para montar algo novamente em dezembro. Fique ligado como o tempo dirá!

Quais são os planos de curto e longo prazo para o desenvolvimento do polo aquático em Gana?

Os objetivos de curto prazo consistem em estabelecer horários de treinamento consistentes para os programas e distribuir mais equipamentos para mais escolas aqui, como East Legon, Achimota, a principal Universidade de Gana e outras. Com a ajuda do GSA e dos apoiadores nos estados e em todo o mundo, isso vai acontecer. Ternos, bolas, bonés e gaiolas realmente contribuem muito para a comunidade aqui. Outro objetivo é iniciar alguns programas que podem treinar treinadores e árbitros aqui que podem ajudar a fazer jogos e treinamentos crescerem e se tornarem mais consistentes. Aquela que acredito terá mais sucesso com a ajuda e apoio da Fina!

Os objetivos de longo prazo incluem a criação de uma ponte através da diáspora para convidar e dar as boas-vindas a todos de volta a Gana e ao continente por meio do esporte. Posso ver um futuro brilhante na criação de um torneio internacional aqui com muito sucesso. Aumentar a representação melanada no esporte é muito importante para mim, e fazer isso de uma forma que possa impactar toda a Diáspora em todo o mundo é uma verdadeira bênção. Há também uma alta taxa de afogamento que existe em nossas comunidades, dentro e fora do continente da África, então reduzir a existência por meio da instrução de segurança da água é outro objetivo importante. Eu acredito que é muito importante que todos saibam nadar e se controlar dentro d’água. Especialmente na África, onde historicamente a água tem sido vista como uma fuga sombria.

 

Por último, o maior objetivo de longo prazo é a colaboração na criação de uma Seleção Nacional de Gana para as Olimpíadas e trazer o Ouro de volta para a “Costa do Ouro”. Eu realmente sinto que o valor do choque de ver uma seleção toda negra da África Ocidental no palco olímpico fará com que as pessoas se envolvam profundamente no esporte, no país e no continente como um todo. Unidade é o que buscamos, e temos a força do Todo-Poderoso do nosso lado, então nosso futuro é brilhante! Não importa quanto tempo leve, esse é o objetivo! Estou muito animado para que as pessoas olhem para isso quando acontecer e vejam que esse sempre foi o plano.
O título do projeto é: “Pool Runnings”!