Presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio não renuncia após declaração sobre mulheres

2 meses ago 0

Yoshiro Mori, presidente do comitê organizador das Olimpíadas de Tóquio, disse na quinta-feira que não renunciaria, apesar da pressão para que o fizesse, após fazer comentários depreciativos no início da semana sobre as mulheres.

A polêmica sobre o ex-primeiro-ministro japonês, propenso a gafes, é mais um problema que as Olimpíadas de Tóquio realmente não precisam, pois os organizadores e o Comitê Olímpico Internacional tentam realizar os jogos em meio a uma pandemia. A inauguração está programada para 23 de julho.

“Não estou pensando em renunciar”, disse Mori. Há sete anos trabalho muito e ajudo com dedicação. Não vou desistir.

Em uma reunião online do conselho de diretores do Comitê Olímpico Japonês no início da semana, Mori foi relatado pelo jornal Asahi Shimbun dizendo que as mulheres falam demais nas reuniões. Seus comentários criaram uma tempestade no Japão, onde as mulheres estão sub representadas na política e nas salas de reuniões.

A declaração feita no Comitê Olímpico do Japão foi uma expressão inadequada, contrária ao espírito das Olimpíadas e Paraolímpicas, disse Mori. Estou profundamente arrependido. Eu gostaria de retirar a declaração. Eu gostaria de me desculpar por quaisquer sentimentos desagradáveis.

Seu comentário veio quando ele foi questionado sobre a presença de poucas mulheres na diretoria do Comitê Olímpico Japonês. Se vamos ter mais diretoras, alguém comentou, as reuniões durariam muito tempo, a menos que restrinjam os comentários. Não estou dizendo quem é. As Olimpíadas de Tóquio que ele lidera já estão repletas de problemas.

Cerca de 80% dos japoneses nas pesquisas dizem que os jogos devem ser adiados ou cancelados em meio a uma pandemia. Eles também falaram sobre os custos crescentes que podem totalizar mais de US $ 25 bilhões para colocar nessas Olimpíadas.

Associated Press