Tartarugas de espécie ameaçada de extinção nascem na Praia do Futuro, Fortaleza – Jornal O Povo

3 anos ago 0

Ao todo, foram postos 179 ovos. Até agora, 134 já eclodiram. Outros 45 seguem no local
fotos: Tatiana Fortes/ O POVO

Dois dias após 112 tartarugas-de-pente (Eretmochelys imbricata) nascerem em ninho formado na Praia do Futuro, mais 22 animais da espécie saíram do mesmo local. O encontro dos bichos com o mar ocorreu na manhã desta quinta-feira, 30, por volta de 13h30min, próximo à barraca Arpão.
Os ovos dos animais foram encontrados no último dia 31 de março em área próxima à linha de maré, o que poderia colocar o ninho sob risco de alagamento. Com ajuda do Corpo de Bombeiros, voluntários do Grupo de Estudos e Articulações sobre Tartarugas Marinhas do Instituto Verdeluz (Gtar-Verdeluz) resgataram os ovos no último dia 3 de abril e colocaram em zona da praia segura para monitoramento, protegida das águas, dos animais e dos banhistas.

179 ovos
Ao todo, foram postos 179 ovos. Até agora, 134 já eclodiram. Outros 45 seguem no local. As tartarugas-de-pente são a espécie de tartaruga marinha mais ameaçada de extinção, segundo a União Internacional para Conservação da Natureza.
De acordo com a estudante de Oceanografia Débora Melo, voluntária do Gtar-Verdeluz, essa espécie demora entre 45 a 70 dias para nascer. Em Fortaleza, as fêmeas formam ninho principalmente na orla da Praia do Futuro e da Sabiaguaba nos meses de dezembro a junho.
“É necessário ressaltar a importância do monitoramento de ninhos e da realização de transferências em certos casos, do contrário, dificilmente teria esse sucesso de eclosão de 134 tartarugas vivas e nenhuma morta”, aponta a voluntária.

Encontro com o mar
Nesta tarde, as tartarugas foram retiradas do ninho sob olhares curiosos de crianças e seus pais. Para realizar o monitoramento, o Gtar-Verdeluz está amparado pela licença SISBO Nº 53083-4, que permite a pesquisadores solicitar autorizações para coleta de material biológico e realização de pesquisa em unidades de conservação federais e cavernas.
Os 22 animais foram transportados para área próxima ao mar. De acordo com Débora, eles não podem ser colocados diretamente na água porque memorizam a localização do nascimento e voltam a mesma região décadas depois, já adultos, para a desova. A caminhada também ajuda na preparação dos bichos para o encontro com as águas.

Nascimento
O nascimento das tartarugas costuma ocorrer durante a noite. Eventualmente, também deixam o ninho em dias mais frios, quando os raios de sol não incidem diretamente sobre a areia. Em conjunto, alguns filhotes da ninhada retiram a areia e seguem para o mar. Eles se localizam pela luminosidade do horizonte.
“As ninhadas que eclodem à noite na Praia do Futuro tendem a seguir em direção contrária ao mar, indo para o calçadão e muitas vezes morrem atropeladas. A iluminação artificial da orla é uma das maiores dificuldades que o projeto tem registrado no sucesso de eclosão dos filhotes”, lamenta Débora.
Ela indica que, ao se deparar com filhotes, o ideal é deixá-los caminhar sozinhos. Caso o animal tente ir em direção contrária ao mar, o indicado é direcioná-lo com uma lanterna para a rota mais segura.
“É preciso ressaltar também a importância do reconhecimento pelos órgãos públicos de que Fortaleza é área de desova de tartarugas marinhas. É necessário a implementação de políticas públicas em prol da conservação desse animais ameaçados de extinção”, afirma Débora.

Serviço
Gtar-Verdeluz
Telefone: +55 9 8597 3007
Site: www.verdeluz.org
Instagram: @institutoverdeluz | @gtarverdeluz
Fonte https://www.opovo.com.br/noticias/fortaleza/2019/05/30/em-dois-dias–134-tartarugas-de-especie-ameacada-de-extincao-nascem-na-praia-do-futuro.html?fbclid=IwAR26rCWCnlcEFym4gRux3BRKb9P0qDWfwVjCj9KuEvV6rEsLgTeMbiCRTy4

O Portal Francisswim.com.br promove diversas ações e projetos visando inclusão social e responsabilidade ambiental que são compartilhadas em nossas plataformas de redes sociais.

Social Responsability
The Francisswim.com.br Portal promotes diverse actions and projects aiming at social inclusion and environmental responsibility that are shared in our platforms of social networks.

Saiba mais sobre a Casa de Apoio Madre Ana

A Casa de Apoio Madre Ana proporciona um acolhimento digno a pacientes pediátricos e adultos portadores de câncer, transplantados, com problemas cardíacos, dentre outros, juntamente com seus acompanhantes vindos do interior do Estado e de outros estados brasileiros. São pessoas de baixa renda que necessitam de um suporte integral durante o período do seu tratamento na Santa Casa.

Os hóspedes recebem moradia, alimentação, material de higiene e conforto espiritual sem nenhum custo. Tudo com um único objetivo: aumentar as chances de cura dos nossos pacientes assistidos.

O leitor do site Francisswim.com.br que quer contribuir pode clicar na logomarca da Casa de Apoio Madre Ana e adicionar uma doação. Além disso, também é possível ser doador mensal para tanto, basta acessar o link: https://goo.gl/cK5wHb

Saiba mais sobre o Banco de Alimentos

O Banco de Alimentos atua como um gerenciador de desperdícios administrando três operações: coleta de doações, armazenamento, e distribuição qualificada de alimentos para entidades beneficentes, tais como creches, asilos, lares de excepcionais, entre outras ongs. A Rede de Bancos de Alimentos do Rio Grande do Sul possui 23 Bancos de Alimentos associados no Estado, os quais doam mais de 500 toneladas de alimentos para 900 instituições, todos os meses. Além da doação de alimentos, desenvolve projetos de nutrição em parceria com as principais universidades Gaúchas, levando mais Segurança Alimentar e Nutricional para as pessoas atendidas nas entidades beneficentes. Participe dessa luta contra a fome e a miséria, entre em contato com o Banco de Alimentos! Telefone: 51-3026.8020 – E-mail: bancodealimentos@bancodealimentosRS.org.br.

Site para maiores informações: http://www.redebancodealimentos.org.br/Inicial