Técnico de natação da África do Sul acusado de agredir sexualmente adolescente

1 semana ago 0

Uma garota de Pretória de 16 anos foi mais uma a denunciar a agressão sexual cometida por seu treinador de natação. A família da aluna da 10ª série abriu um caso de agressão sexual na Delegacia de Polícia do Brooklyn. A menina, que tinha 15 anos na época do suposto abuso, agora é uma das três mulheres que se apresentaram, alegando que foram abusadas sexualmente por seus treinadores.

Na semana passada, o Saturday Star relatou que dois casos de assédio / abuso sexual foram levados ao conhecimento da Swimming South Africa. O primeiro caso, envolvendo duas mulheres, data de 40 anos, enquanto o outro incidente se diz recente (2019). A Federação Sul Africana de Natação divulgou uma curta declaração nesta semana dizendo que desde então instituiu uma investigação sobre o que diz serem “alegações muito sérias”.

O CEO da Federação Sul Africana de Natação, Shaun Adriaanse, disse: “Até que a investigação seja concluída, nenhum outro comentário público será feito. Nessas circunstâncias, não podemos confirmar a identidade de nenhuma das partes envolvidas, pois o assunto está sob investigação”.

O Saturday Star falou com o pai (identidade retida para proteger a filha), que explicou como a sua filha foi preparada e eventualmente molestada. A adolescente teve aulas de natação com o homem em uma conhecida escola de Pretória.

“Minha esposa encontrou anotações em seu diário de como o treinador solicitou fotos explícitas dela. Encontramos fotos em seu telefone que ela havia enviado. Minha filha nos contou que ele usou o dedo para penetrá-la. Eu queria matá-lo. Eu queria machucá-lo fisicamente, mas é claro que não podia. Tivemos que deixar a lei seguir seu curso”, disse o homem.

O Especialista em Proteção e Desenvolvimento Infantil para Mulheres e Homens contra o Abuso Infantil, Luke Lamprecht questionou por que a Federação Sul Africana de Natação se recusou a divulgar um relatório para o treinador baseado em Durban que foi iniciado quando as primeiras alegações vieram à tona.

Eles (Federação Sul Africana de Natação) afirmam que o conselho lançou uma investigação, mas ninguém do conselho sabe nada sobre a investigação ou o relatório que Shaun Adriaanse fez sobre o homem, disse ele.

A polícia do KZN confirmou ao Saturday Star, por e-mail, que o assunto está sob investigação.

As tentativas de comentário da Federação Sul Africana de Natação sobre o treinador de Pretória foram ignoradas. O Saturday Star contatou o proprietário da empresa de relações públicas, Forever Marketing, que foi nomeada pela Federação Sul Africana de Natação para lidar com as consultas da mídia, mas não recebeu comentários.

O Saturday Star falou também com Phumzile Sikhosana da Federação Sul Africana de Natação, que disse que o CEO, Shaun Adriaanse, estava em reuniões e que responderia às perguntas da mídia. “Eu não aprecio você me ligando no meu celular. Eu disse que Shaun entrará em contato com você”, disse Sikhosana.

No momento da publicação, nenhum comentário foi recebido da Federação Sul Africana de Natação sobre as últimas alegações em Pretória. O Saturday Star conhece a identidade de ambos os treinadores que foram acusados ​​de agressão sexual.

The Saturday Star

Francisswim.com.br um novo jeito de publicar notícias dos esportes aquáticos