USA – Donald Trump assina projeto de lei para proteger atletas após o escândalo de abuso sexual

1 ano ago 0

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sancionou no sábado um projeto de lei destinado a dar aos atletas olímpicos maior proteção e mais informações para a tomada de decisões após o escândalo de abuso sexual de Larry Nassar, monstro que abusou de centenas de atletas durante mais de 20 anos.

A Lei de Capacitação de Atletas Olímpicos, Paraolímpicos e Amadores aumenta o financiamento do US Center for Safe Sport e cria mais representação de atletas no conselho do Comitê Olímpico e Paraolímpico dos Estados Unidos (USOPC) e nos Órgãos Diretivos Nacionais do esporte (NGB).

Se ambos falharem no acompanhamento das reformas, novos mecanismos estarão disponíveis para permitir que o Congresso dissolva o conselho do USOPC e cancele a certificação dos NGBs.

A USA Gymnastics ainda está se recuperando do escândalo que envolveu o ex-médico da equipe, que foi condenado a 300 anos de prisão em 2018 depois que mais de 350 mulheres testemunharam sobre abusos cometidos por ele.

O projeto de lei ocorreu após uma investigação bipartidária de 18 meses que descobriu que Nassar foi capaz de agredir centenas de meninas e mulheres devido à falta de transparência e responsabilidade entre os oficiais, técnicos e treinadores olímpicos dos EUA.

Os autores do projeto de lei, o senador republicano Jerry Moran, e o senador democrata Richard Blumenthal, disseram que ficaram satisfeitos em ver sua “ampla reforma legislativa” transformada em lei e elogiaram os atletas que testemunharam perante o Congresso.

“Essa lei não seria possível se não fosse pelos atletas e corajosos sobreviventes que viajaram para Washington, compartilharam suas histórias e exigiram mudanças para que as futuras gerações de atletas possam treinar, competir e ter sucesso sem medo ou abuso”, disseram os senadores em um declaração conjunta.

Somos gratos aos nossos colegas, defensores dos atletas e aos muitos sobreviventes que ajudaram a criar e defender esta lei para trazer mudanças no movimento olímpico e nos permitiu manter nossa promessa aos sobreviventes de levar este projeto até a linha de chegada.

Asseguraremos que esta lei seja implementada em toda a sua extensão e continuaremos a responsabilizar as instituições que têm a responsabilidade de manter os nossos atletas seguros.

O escândalo de Nassar desencadeou ações judiciais e demissões em massa no USOPC e na USA Gymnastics por causa das falhas organizacionais para responder adequadamente ao abuso. Isso levou à supervisão do Congresso, com relatórios e auditorias regulares a serem disponibilizados.

A lei também criará uma comissão para estudar questões mais amplas dentro dos movimentos olímpicos e paralímpicos.

Seguindo as recomendações de um relatório independente, o USOPC começou no ano passado a introduzir a primeira onda de reformas, incluindo o aumento da representação dos atletas.

Reuters