Brasil desfilará de chinelos durante a cerimônia de abertura Tóquio 2021

2 anos ago 0

A seleção brasileira vai desfilar de chinelos durante a Cerimônia de Abertura de Tóquio 2021, após o Comitê Olímpico do país assinar contrato com Havaianas.

Pelo novo acordo, firmado pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), a marca brasileira de sandálias de flip-flop apoiará a delegação do país e assinou como apoiador oficial do conselho patrocinador do COB até o final de 2021.

O acordo também significa que a marca de chinelos farão parte do uniforme do desfile da Seleção Brasileira, junto com a Wollner, que está produzindo camisetas com peixes da Amazônia e referências à fauna e flora brasileiras.

“É com muito orgulho que temos uma marca de chinelos internacional em nossa lista de patrocinadores”, disse Rogério Sampaio, campeão olímpico de judô e diretor geral do COB.

“A Cerimônia de Abertura é o cartão de visita da delegação nos Jogos e nada mais autêntico e brasileiro do que colocar um chinelo de tiras.”

Manoela Penna, diretora de comunicação e marketing do COB acrescentou: “Os valores da Time Brasil, criatividade, diversidade e o desejo de trazer o melhor do Brasil para o mundo nos conectam diretamente com a marca.

“A relação é inovadora, pois é a primeira vez que os pés do desfile de abertura são comercializados.

“Isso mostra o potencial que temos pela frente!”

As Havaianas também devem lançar uma coleção COB licenciada que será vendida durante os reformulados Jogos Tokyo 2020, com início previsto para 300 dias em 23 de julho de 2021.

“Estamos na vida dos brasileiros há quase 60 anos e hoje somos conhecidos em todo o mundo por representar a alegria, a liberdade e o espírito do verão.

“Caminhar com o Team Brasil na abertura nos enche de orgulho”, acrescentou Funari.

No período que antecedeu as Olimpíadas de Sydney 2000, o tenista brasileiro Gustavo Kuerten estava perto de desistir da competição depois que inicialmente foi recusada a permissão para usar uma camisa com o logotipo de seus patrocinadores Diadora.

O COB então concordou que Kuerten poderia competir com uma camisa sem o nome do seu patrocinador nem do patrocinador da Seleção Brasileira.

Kuerten alcançou as quartas de final da competição individual masculina em Sydney 2000, antes de ser derrotado pelo russo Yevgeny Kafelnikov, que conquistou o ouro no evento.

FONTE Neil Shefferd ZwemZa